Plano de Atividades

O Plano de Atividades (PA) do CITAD para 2018-22 será desenvolvido no âmbito da sua estrutura temática, 4 Grupos de Investigação (GI), das suas Linhas de Investigação (LI) e da sua Estratégia, Arquitetura para o Desenvolvimento que incluem os seguintes temas:

  • Regeneração Urbana
  • Construção Sustentável
  • Habitação e Património
  • Design

O CITAD é composto por 4 Grupos de Investigação (GI). Cada GI contém Linhas de Investigação (LI) de acordo com os seus temas, nas quais se integram os Projetos de Investigação (PI). O Plano de Atividades refere-se essencialmente aos seguintes Projetos de Investigação (PI) :  

Coordenado por Maria João Soares, atua como uma plataforma de pesquisa transversal contínua que investiga trans e inter-relações entre arquitetura e outras áreas, arquitetura e cinema, arquitetura e dança, arquitetura e música, arquitetura e filosofia. Publicações de uma coleção de livros, produção documental e organização de uma conferência internacional. Os resultados desta pesquisa serão associados ao PI DArq.

Coordenado por Clara Germana Gonçalves. Produzirá uma síntese estruturada temática sob uma forma de um livro de dicionário que foca as várias estruturas de relacionamento estabelecidas com diferentes disciplinas.
Atualmente, os dois GIs, ArT e DArq mantêm contatos para estabelecer colaborações com investigadores das Universidades de Sevilla e Sapienza Università di Roma. O fortalecimento da colaboração com o Instituto de Educação e Pesquisa de Atenas, ATINER, está sendo estabelecido, uma vez que ambos os coordenadores dos RPs são membros desta instituição grega. 
Coordenado por Maria João Soares. Procura contribuir para um novo paradigma arquitetónico, através de um lema teórico, o Meta-Barroco. Os resultados deste PI serão associados ao PI DArq e devem ser publicados num livro sobre estudos do Meta-Barroco. 
Coordenado por Fernando Hipólito, considera o património e a habitação da arquitetura moderna. Este PI, envolvendo estudantes de mestrado, procura contribuir com a publicação de livros / catálogos sobre um certo número de casas estudadas durante cada ano, de 2018 a 2022, acompanhadas de exposições a serem apresentadas nos Conselhos de Cascais e Oeiras. 
Coordenada por Ricardo Zúquete. BATIR - Na escrita de Heidegger, a construção parece estar ciente da sua habitabilidade e, portanto, fazer parte do habitat. Escritos e ensaios de investigações em curso; HABITAR - O assunto desta unidade de pesquisa é analisar espaços construídos como espaços referenciais e lugares habitáveis, compreendendo a realidade figurativa ou configurável. Escrita e ensaios em curso, PENSAR - A composição do objeto arquitetónico e sua epistemologia como processo cultural é de uso diário e comum. Arquitetura entendida como espaço cultural habitável através das multiplicidades do sistema cultural. Escrita e ensaios de atuação. 
Coordenado por Fátima Silva. A valorização de um território implica um conhecimento completo sobre o seu tecido edificado sobre, geomorfologia, estrutura natural, assim como; sobre a sua cultura de identidade; história, sociedade, Biodiversidade, etc. Em síntese a sua arquitetura de Paisagem, resultado do trabalho de ordenamento e edificação sobre uma estrutura de suporte natural. Apoiado por uma metodologia experimental capaz de promover uma aproximação gradual, evolutiva, aos lugares, com a finalidade de equacionar os elementos que estão na sua génese da uma identidade. O projeto pretende contribuir para uma regeneração da tessitura da paisagem nacional, numa perspetiva de reintegração destes lugares, com base num sistema de rede interegional.
Coordenado por Reaes Pinto. Estudo de uma habitação modular pré-fabricada, de estrutura evolutiva, que responda às necessidades de uma população de poucos recursos, nacional ou de outros países de língua portuguesa, com escassez de habitação, utilizando painéis feitos de materiais com baixo teor de carbono. As vantagens em relação aos processos convencionais são a redução dos tempos de execução e a redução dos resíduos, nas frentes de trabalho, melhorando o desempenho ambiental. Este PI envolve estudantes de doutoramento. 
Coordenado por Reaes Pinto. Nesta investigação, pretende-se estudar blocos (sem ou com poucas argamassas) derivados da terra crua, mas incorporando outros materiais com baixo teor de carbono, como cortiça, palha, casca de arroz, cânhamo, podendo, esses blocos, serem utilizados em autoconstrução. Os resultados desta pesquisa estarão associados ao PI Habitação modular pré-fabricada. 
Coordenado por Artur Feio. Uma das principais consequências das catástrofes é a destruição da habitação e o número inerente de população deslocada, e é necessário garantir habitação temporária suficiente no menor tempo possível. O abrigo temporário é crucial para todo esse processo de reassentamento da população, pois garante condições mínimas de vida. O principal objetivo deste trabalho é desenvolver soluções construtivas para abrigos temporários usando sistemas construtivos reversíveis para esse fim. 
Coordenado por Fátima Silva, investiga, através do estudo de caso "Quintas" do Estuário do Tejo, um mapa de duzentos Casos Paisagísticos, através de pesquisas e inquéritos, e a função dos planos urbanos e planos mestres, etc. Este PI tem a participação de dois consultores da Universidade TUDelft, Países Baixos. 
Coordenado por Paulo Brito da Silva.
Coordenado por Alberto Reaes Pinto. Com base no trabalho desenvolvido ao longo dos anos pelo município, é necessário desenvolver um conjunto de ações focadas no Centro Histórico de Santarém no sentido da sua revitalização, pretendendo aprofundar e desenvolver ações e programas de promoção e dinamização dos edifícios e do seu espaço público.
Coordenado por Cristina Gomes. Colaboração de parceiros internacionais, Cristina Boeri, Universidade de Milão, Verena Shindler, Grupo de Estudo sobre Design de Cor Ambiental, Luis Caivano, Universidade de Buenos Aires. Através do estudo de caso deste PI, pretende-se analisar a relação entre cores, arquitetura e tecnologias de intervenção no processo de reabilitação da Cor na Ajuda. Este PI implica encontros e aulas abertas orientadas para estudantes do 1º ciclo de graduação em Arquitetura e Design. 
Coordenado por Samuel Roda. O projeto repensa as várias tipologias espaciais do caminho entre MU-SA e Quinta da Regaleira através de um novo campo de possibilidades, numa aldeia classificada e diferenciada. 
Coordenado por Horácio Bonifácio. Este projeto procura analisar e compreender o patrimônio cultural arquitetónico, tanto teórico quando relacionado com os atores diretos; os arquitetos e a produção teórica; a tratadística, que influencia a formação e a produção arquitetónica dos diferentes artistas, bem como as obras materiais produzidas, nos tempos modernos e contemporâneos. 
Coordenado por Miguel Malheiro. 
Coordenado por Andreia Galvão. Este projeto abordará o importante património caritativo e filantrópico produzido em Portugal, a partir do surgimento das Misericórdias, instituições únicas do mundo, desde o século XVI até a contemporaneidade. 
Coordenado por Paulo Maldonado. 1. Maldonado, P. et al. 2016. Inspaedia [internet]. Disponível em: inspaedia É a primeira plataforma web que se relaciona, de forma inspiradora e produtiva aos processos de pesquisa e desenvolvimento (também em Design), conteúdos relevantes das seguintes áreas temáticas: Design; Inovação; Arte; Fotografia; Cinema; Artes performativas; Video Arte; Arquitetura; Pintura; Escultura; Conferências; Exposições; Multimídia; Materiais; Música; Tipo de atração Bairros; Bibliotecas; Universidades; Ensino; Centros de pesquisa; Investigação; Média; Sustentabilidade; Design Inclusivo; Cor; Mídia digital; Jogos digitais; Tendências; Moda; Branding; Empreendedorismo; Realidade aumentada; Tecnologias digitais 
Coordenado por Regina de Oliveira Heidrich (Universidade Feevale, Novo Hamburgo, RS, Brasil), Paulo Maldonado (CITAD) e Célia de Sousa (Instituto Politécnico de Leiria). O projeto de livros multissensoriais é um contributo para a inovação e inclusão social de crianças com dificuldades de aprendizagem. Os resultados deste projeto serão um contributo positivo para os processos de aprendizagem e integração social. SENSeBOOKS é um projeto que envolve pesquisadores e unidades de pesquisa do Brasil e Portugal e foi selecionado e financiado pelo Programa de Desenvolvimento Abdias Nascimento, promovido pela SECADI e CAPES (Brasil).
Os principais resultados serão expostos através da publicação de livros, revistas e jornais em diferentes áreas de atuação, apresentação em conferências, seminários e workshops nacionais e internacionais, além de trabalhos produzidos no laboratório, como Labcor (Laboratório de cores) e Blocos de Laboratório de Produção para Construção de edifícios em materiais renováveis e no LabLuz (Laboratório de Luz), ligados à indústria, às empresas e aos municípios. 
Coordenado por Mário João Alves Chaves. A sociedade flexiexistencialista é o paradoxo da sociedade determinista num tempo totalmente focado na ciência e técnica, pelo conhecimento, é necessária haver visões transversais, em sabedoria, que possam abranger todas as situações sociais, culturais, académicas, politicas, económicas, religiosas, cientificas, técnicas, filosóficas, linguísticas, que por se interligarem entre si, exigem a capacidade de concatenação por parte dos intervenientes.
Os arquitetos possuem essa capacidade de arquitetar, formas e sistemas, conceberem abstratamente os links de ligação entre todas as partes, no modo de entendimento e na forma de sistematização das diferentes componentes que se proporcionam à sociedade.
A sociedade flexiexistencialista, continuadamente plástica, elástica e com um grau de dureza intrinsecamente adaptável às circunstancias de extraordinária capacidade de mutação e evolução, os arquitetos são flexiexistencialistas por saberem moldar-se e adaptarem-se à sociedade que os forma e consubstancia, mas também porque estes podem ser os lideres do fomento da interação entre todos os agentes sociais.
Os arquitetos podem ser os gestores das complexidades que surgem com cada advento, por cada um deles acontecer numa circunstancia social que deve ocorrer numa singularidade construível a que o arquiteto dá forma e contexto. Há arquitetura em tudo o que há, somos todos flexiexistencialistas.
Coordenado por Leonor Ferrão.
Coordenado por Alberto Reaes Pinto. Estudo de uma habitação modular, de estrutura evolutiva, que responda às necessidades de uma população de poucos recursos, nacional ou de outros países, com escassez de habitação, utilizando os blocos de encaixe com baixo teor de carbono. As vantagens em relação aos processos convencionais são a redução dos tempos de execução, economia da argamassa de assentamento, a interrupção da transmissão da higrotérmica, através da argamassa, e a redução dos resíduos nas frentes de trabalho, melhorando o desempenho ambiental.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. A demolição dos edifícios conduz ao transporte dos materiais a vazadouro, com esgotamento da utilização desses materiais, resultando na ocupação de espaço no território e na contaminação dos níveis freáticos e das espécies vegetais e animais. Considera-se, por isso, fundamental a substituição do processo de demolição dos edifícios pela sua desconstrução e desmantelamento seletivo. Nesse âmbito, desenvolvemos o PI “Desconstrução e Desmantelamento seletivo: HME”, que tem como base de trabalho, um edifício de pequena dimensão - PI “Habitação Modular Evolutiva” (HME). A Desconstrução e o Desmantelamento seletivo, no fim do ciclo de vida dos edifícios, pretendem a recuperação e a obtenção do máximo dos materiais que possam ser reciclados e a reutilizados e inseridos numa economia circular.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. Este Projecto de Investigação pretende, fundamentalmente, a construção das paredes de edifícios, nomeadamente das suas paredes exteriores, utilizando uma argamassa de baixo impacto ambiental, à base de cal e de materiais renováveis, pó de cortiça, palha ou cânhamo cortados, no sentido dessa dosagem produzir uma parede com bom comportamento térmico. A utilização da impressão 3D e a aplicação do braço robótico, permitem a laboração em turnos contínuos, uma maior rapidez de construção e economia reflexa que leva à redução dos custos de construção.

Coordenado por Maria João Soares. JAPOm pretende investigar a amplitude e a configuração de inter-relações Portugal-Japão no âmbito da arquitectura, dentro de um quadro internacional balizado pelo Ocidente (Europa e EUA) e pelo Japão. O mapeamento desenvolvido neste âmbito será plasmado num mapa, que fixará uma rede de inter-relações, constituído por um sistema de nós e ligações entre eles: os nós corresponderão a personalidades e/ou obras; as ligações corresponderão às inter-relações que se estabelecem entre essas personalidades e/ou obras. Serão estas inter-relações, não tanto as personalidades e/ou obras individualmente consideradas, o objecto do PI. As personalidades e/ou obras interessam na medida em que sustentam as inter-relações e potenciam a sua compreensão. O mapa assim definido será disponibilizado através de um website próprio.

Coordenado por João Couto Duarte e Maria João Soares. O Projecto de Investigação “Filmar Álvaro Siza” [FILMs] tem como objetivo reflectir sobre o corpus da obra do arquitecto Álvaro Siza Vieira (n. 1933), comportando esse corpus quer a sua obra projectada e concretizada (arquitectura, escultura, design), quer o suporte da concepção dessa obra (desenho, escrita). Pretende-se aprofundar a compreensão do pensamento criativo da Álvaro Siza Vieira, considerado esse pensamento na amplitude de sua dimensão poética.

Coordenado por Paula Costa Soares. O projeto de investigação pretende estudar a forma como a identidade portuguesa aparece expressa nos artefactos de design português - gráfico, produto e moda - do século XX, no período cronológico entre 1933, ano da criação do Secretariado da Propaganda Nacional (SPN) e 1998, ano da inauguração da EXPO’98. O estudo destes 65 anos de história do design em Portugal vai permitir não só analisar os artefactos de design mas também entender qual a ideologia subjacente à sua criação, qual a influência que o processo e desenvolvimento tecnológicos tiveram no produto final e qual o papel que autores, ateliers e indústria tiveram na reimaginação do legado cultural português.

Coordenado por Andreia Galvão.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. Projeto desenvolvido em parceria com a Università degli Studi Mediterranea di Reggio Calabria. Este Projecto caracteriza-se pelo estudo de módulos pré-fabricados para paredes exteriores, constituídos por materiais renováveis de preferência locais, de baixo impacto ambiental.

Coordenado por Paulo Brito da Silva.

Coordenado por Paulo Brito da Silva.

Coordenado por Luis Moreira Pinto. O objetivo do projeto é encontrar os determinantes que conduzem às atitudes positivas das pessoas em relação à rua ou a um espaço específico, como um edifício ou uma casa. Tendo em conta as formas, as cores e a forma como estas interagem com as pessoas. O processo consiste em 4 etapas. Na primeira etapa podemos analisar o edifício, as formas, e depois desse processo, o "Archimood- APP" vai para a etapa seguinte, e com base nos dados do processo da etapa anterior, o algoritmo irá analisá-lo e dar os resultados do nível da atmosfera arquitetónica do local, desde o aspeto negativo, até ao neutro e positivo. Na terceira etapa, os dados serão enviados para uma plataforma digital, como "Google maps" e serão carregados hotspots de estado de espírito que a rua transmite, de modo a que todos possam verificá-los mais tarde.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. Este estudo de caso envolve a parceria entre o CITAD e o Centro Lusíada de Investigação em Serviço Social e Intervenção Social (CLISSIS). A parceria entre os dois centros de investigação, CITAD e CLISSIS visa criar sinergias que potenciem os recursos de conhecimento e experiência no desenvolvimento de Processos e aplicação de metodologias que permitam a obtenção de resultados de investigação transdisciplinares. A Habitação Unifamiliar Evolutiva em Poiares, visa assim, responder às dificuldades do contexto atual nas zonas do interior do país, cuja desertificação cresce lentamente, devido ao êxodo das suas populações para outros lugares com melhores ofertas de vida, pela não utilização dos seus recursos naturais ou pelo seu esgotamento, sem capacidade da criação de uma dinâmica própria, que possa atrair as suas populações. Pretende-se que a realização desta unidade habitacional possa permitir uma construção crescente, ao longo do tempo, segundo as condições económicas e o crescimento da família, no âmbito dos princípios da construção sustentável.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. Numa altura em que no espaço europeu e, em particular, no mercado nacional a reabilitação atinge uma relevância extrema em termos da economia e da preservação da identidade histórica e patrimonial. O ato de reabilitar de uma forma sustentável, faz com que a consolidação deste conhecimento, se torne fundamental para um contributo de valor acrescentado do património edificado existente.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. O objetivo deste Projecto é investigar a utilização de materiais distintos dos utilizados na arquitetura de betão armado e a “nova” arquitetura de terra crua, em edifícios em Portugal, através de um caso de estudo, validando assim a arquitetura de terra crua nas vertentes técnica, económica e ambiental. Esta demonstração é baseada na análise do estudo de um caso de uma habitação térrea unifamiliar “Casa Olímpia” na Vila de Vidigueira concelho de Vidigueira, distrito de Beja. O intuito é analisar essencialmente os dois tipos de construção do ponto de vista da sua conceção, da sua construção e das caraterísticas do seu espaço habitacional, que implicam relações com aspetos especificamente térmicos acústicos, profissionais, custo de materiais, custo de energia, temperatura e humidade, desmantelamento e reciclagem dos materiais.

Coordenado por Alberto Reaes Pinto. A Economia Circular é um conceito incontornável. Atualmente, cerca de 40% do consumo global de recursos naturais, energia, poluição e resíduos são devidos ao setor da Construção. Por essa razão, a adoção de materiais, produtos e sistemas comprovadamente de baixo impacte ambiental é uma medida essencial. Os principais objetivos deste PI são os seguintes: a) Demonstrar a importância da Construção Circular na Pegada Ecológica Global; b) Desenvolver a capacidade de identificar materiais, produtos e sistemas construtivos inovadores e compatíveis com o conceito de Construção Circular; c) Estabelecer princípios gerais de Construção Circular para aplicação em Arquitetura.

Coordenado por Henrique Fabião. No início do século XX Portugal debatia-se com um grave problema de falta generalizada de alojamentos sociais, essencialmente nos meios urbanos, não só porque o número de casas era insuficiente face à procura como a qualidade dos fogos era má e precária. O problema existia e prolongou-se no tempo sem que se criassem as condições e as vontades para o resolver de uma forma pragmática, olhando para as soluções, para os meios e para os mais visados e desfavorecidos. As cooperativas de habitação económica (CHE`s) nascem com o advento da democracia impondo-se desde logo como uma promissora solução, mas não única, apresentada pelas suas virtudes de modelo participativo e inclusivo, dando lugar a conjuntos edificados, organizados em bairros, fomentando vizinhanças, continuidades espaciais, novas centralidades. Uma oportunidade aproveitada por diversos agentes que, distribuídos pelo sector público e pelo sector cooperativo, lançaram no terreno uma obra que em muitos locais contribuiu para construir e consolidar trechos de cidade qualificada: o caso do concelho de Matosinhos.

Coordenado por Henrique Fabião. O Metropolitano surgiu, na cidade do Porto, com a finalidade de regenerar a malha urbana do Grande Porto. A escassez de recursos [de infraestruturas] que conectassem o centro urbano com outros núcleos periféricos contribuiu para a aplicação do transporte na urbe. Determinados espaços existentes no centro da cidade foram-se degradando e tornaram-se Vazios Urbanos, lugares sem função para a época. Com a implementação do Metropolitano na urbe, muitos desses lugares foram regenerados pela apropriação desta infraestrutura. Pretendemos aprofundar os conceitos 'cheio e vazio' na arquitetura, na superfície e no subsolo desse mesmo território, através do método, do desdobramento. Tal investigação teórica baseia-se num discurso — pensamento crítico das formas arquitetónicas, que concebem espaços. Defendemos que os conceitos cheio e vazio, aplicados no método de desdobrar podem contribuir para a regeneração dos lugares, das cidades, dos territórios sem identidade, através da disciplina da arquitetura – outra variável possível.

Coordenado por Benedita Camacho. Desde o final da década de 1970 foram desenvolvidos em diversos países e em diferentes culturas, sistemas de pictogramas farmacêuticos de suporte às instruções dos medicamentos, a fim de superar as deficiências dos usuários de informações exclusivamente textuais. O nosso objectivo é, primeiro, estudar e analisar semiologicamente a variedade gráfica e diversidade linguística dos sistemas de pictogramas farmacêuticos desenvolvidos internacionalmente nos últimos 40 anos, tendo em conta os contextos em que foram desenvolvidos, a fim de avaliar se e em que medida as variações gráficas exibidas no corpus são culturalmente relevantes; segundo, desenvolver um Sistema trilingue de Pictogramas Farmacêuticos capaz de funcionar internacionalmente; terceiro, considerar plataformas de aplicabilidade industrial do Sistema. Since the late 1970s, systems of pharmaceutical pictograms to support instructions on medication have been developed in many countries and in different cultures in order to surpass the shortcomings for users of exclusively textual information. Our purpose is, first, to study and analyse semiotically the graphical variety and linguistic diversity of the systems of pharmaceutical pictograms developed internationally in the last 40 years, bearing in mind the contexts in which they were developed, in order to assess if and to what degree the graphical variations exhibited in the corpus are culturally relevant; second, to develop a trilingual System of Pharmaceutical Pictograms able to function internationally; third, to consider platforms for industrial applicability of the System.

Coordenado por Bernardo d’Orey Manoel. Para um modelo de atuação na gestão e ordenamento do território - o caso de Brejo de Canes

Coordenado por Benedita Camacho. Este trabalho propõe-se a conceção e desenvolvimento de uma materioteca/ banco de dados de materiais e processos de fabrico sustentáveis, físico e digital que funcione como uma ferramenta profissional e pedagógica. Esta ferramenta, visa ser adequada a estudantes, criativos e fabricantes de materiais inovadores e sustentáveis portugueses, nas suas aplicações estratégicas e impacto nos diferentes setores da indústria nacional. Este projeto ambiciona potenciar o ensino em Design Sustentável e o desenvolvimento dos produtos nacionais de forma mais competitiva e com maior valor acrescentado. No desenvolvimento deste projeto proceder-se-á à análise de soluções existentes, à formulação de novas hipóteses ou alternativas de solução, ao estudo dos meios tecnológicos e materiais disponíveis adequados à realização das várias hipóteses e, subsequentemente, à avaliação das alternativas.

Coordenado por Patrícia Xavier Diogo. Com a investigação pretende-se abordar o tema da reabilitação sustentável de edifícios de habitação , investigando vias para a integração de objetivos de sustentabilidade em todo o processo, ou seja, contribuir com um conjunto de critérios e soluções construtivas que aumentem a sustentabilidade do processo de reabilitação dos edifícios de habitação, no âmbito de um processo que aumente os seus níveis de sustentabilidade ambiental, económica e social, que seja realizado de forma holística que em todas as fases sejam tomadas medidas que contribuam para a minimização do consumo de recursos, para a maximização da reutilização de recursos, para a proteção do ambiente natural, para a criação de um ambiente saudável e para o desenvolvimento da qualidade do ambiente construído.
Coordenação por Alberto Reaes Pinto. Com o Projecto de Investigação intitulado “Reabilitação Sustentável de Edifícios” pretende-se abordar o tema da reabilitação sustentável de edifícios de habitação, investigando vias para a integração de objetivos de sustentabilidade em todo o processo, ou seja, contribuir com um conjunto de critérios e soluções construtivas que aumentem a sustentabilidade do processo de reabilitação dos edifícios de habitação, no âmbito de um processo que aumente os seus níveis de sustentabilidade ambiental, económica e social , que seja realizado de forma holística que em todas as fases sejam tomadas medidas que contribuam para a minimização do consumo de recursos, para a maximização da reutilização de recursos, para a proteção do ambiente natural, para a criação de um ambiente saudável e para o desenvolvimento da qualidade do ambiente construído.
Coordenação por Maria João Soares. O Projeto de Investigação aprofunda e direciona em termos científicos o trabalho iniciado pelo grupo BANGA – um coletivo de jovens arquitetos angolanos -, na criação de uma plataforma de colaboração entre artistas e arquitetos angolanos, promovendo exposições virtuais e fomentando a interação entre arquitetos e artistas convidados, tendo como pano de fundo o arquétipo da "cabana". A investigação pretende constituir-se como uma contribuição para uma discussão sobre a identidade arquitetónica contemporânea em Angola, mantendo o carácter transdisciplinar das experiências anteriores e procurando resgatar a história, compreender o lugar e ganhar sensibilidade para um intervir mais consciente, tendo em atenção o passado mais recente do panorama arquitetónico angolano e uma reflexão sobre os recursos naturais do país.
Coordenação por Maria Estela de Sousa Pinto Vieira. O Projeto de Investigação tem por objetivos entender e reconhecer a importância da Moda enquanto premissa de comportamento, valores culturais, acontecimentos políticos, sócio-económicos, comunicação não-verbal, isto é a forma como uma sociedade vê o mundo e expressa os seus valores através da imagem, sendo que esse é o nosso primeiro ato de comunicação.
Coordenado por Sérgio Amorim.